top of page

Multitasking: uma ilusão poderosa


stop


O multitasking é a grande tentação do século.

Na era do e-mail, mensagens de texto, Facebook e Twitter, somos “empurrados” a fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Mas será que estamos a ser mais produtivos e eficientes, como é nossa intenção, ao fazermos várias tarefas ao mesmo tempo?



O perigo dos constantes estímulos externos


Atualmente, o nosso cérebro está mais ocupado do que nunca. Somos constantemente “bombardeados” com inúmeros estímulos externos, todos fonte de muita informação e a disputar pela nossa atenção.  

Muito provavelmente, nomomento em que está a ler este artigo, poderá também estar a trabalhar, ter a janela do LinkedIn aberta, a enviar um SMS, a consultar o seu e-mail, a escolher a sua playlist, a responder a uma dúvida de um colega, a atender uma chamada de um cliente ou fornecedor, a beber um café e a respirar.

 

O multitasking é a grande tentação do século. Trata-se de fazer muitas coisas diferentes ao mesmo tempo, situação muito valorizada por nós e em contexto de trabalho, na qual a tecnologia tem uma grande responsabilidade.

 

Segundo Daniel Levitin, os nossos smartphones tornaram-se  aparelhos semelhantes  a canivetes suíços , que incluem um dicionário, calculadora, navegador de internet, e-mail, jogos, calendário, gravador de voz, previsão meteorológica, GPS, bloco de notas, Facebook e lanterna.

 

São aparelhos muito poderosos, que usamos a qualquer hora, para fazer tudo o que necessitamos e, ainda, usarmos nos momentos de inatividade. Enviamos mensagens de texto enquanto atravessando a rua, atualizamos e-mails enquanto estamos numa fila para o supermercado, e enquanto almoçamos com amigos, verificamos, de forma discreta, o que nossos outros amigos estão a fazer.

 

O que desconhecemos é que o facto de estarmos a executar várias tarefas ao mesmo tempo, de forma constante, tem repercussões na prestação do nosso cérebro e na nossa prestação cognitiva.


Multitasking vs. produtividade


Pensarmos que quando fazemos várias coisas ao mesmo tempo estamos a ser muitos produtivos, é uma ideia errada.

 

 Earl Miller, neurocientista do MIT e um dos especialistas mundiais em atenção dividida, diz que nosso cérebro “não está preparado para o multitasking. Quando as pessoas pensam que estão a realizar várias tarefas ao mesmo tempo, na verdade estão apenas a mudar de uma tarefa para outra, muito rapidamente. E sempre que o fazem, há um custo cognitivo em fazer isso.”  Embora pensemos que estamos a fazer muito, ironicamente, o multitasking faz-nos comprovadamente menos eficientes. Ficamos mais lentos, menos eficientes, mais vulneráveis a cometer erros, menos capazes de filtrar informação e de nos focarmos nos aspetos relevantes.

 

O cérebro não é multitasking. Imagine várias bolas de ping pong a saltar ao mesmo tempo. É assim que funciona o nosso cérebro no multitasking. Não consegue focar-se em todas as bolas, ao mesmo tempo.

O multitasking divide o cérebro – cria os chamados “spotlights”.  O que o cérebro faz é saltitar entre as várias tarefas ou atividades que estamos a executar.



Muitas tarefas para executar: o que fazer?


Faça uma coisa de cada vez!

O conceito de monotasking remete-nos para uma abordagem intencional que prioriza a realização de uma tarefa única por vez. Esta metodologia não só eleva a qualidade e eficiência do trabalho, como também promove um estado mental mais tranquilo e focado. Ao dedicar toda a atenção a uma atividade específica, eliminamos as distrações que fragmentam a nossa concentração, permitindo um mergulho profundo que potencia o envolvimento e a criatividade.


Monotasking não se trata apenas de melhorar o desempenho profissional. Trata-se de cultivar uma presença mais plena em todas as áreas da vida. Ao abraçarmos esta prática, descobrimos que não apenas completamos tarefas com maior eficácia, mas também melhoramos a nossa capacidade de aprendizagem e retenção de informações, reduzimos os níveis de stress e aumentamos a nossa satisfação com a vida. Assim, ao nos comprometermos com o monotasking, estamos a escolher um caminho com vista a uma maior qualidade de vida, demonstrando que, às vezes, menos realmente é mais.




sofia




Fundadora e CEO Sowise time lab.




Descubra o poder transformador das pausas conscientes com o Sowise Time Lab.

Capacitamos indivíduos e organizações com vista a adotarem uma nova cultura de respeito pelo tempo, promovendo uma abordagem de Gestão Consciente do Tempo, Produtividade Consciente e Liderança Consciente. Com as nossas estratégias baseadas em ciência, estamos comprometidos em contribuir para uma sociedade mais consciente, humanizada e sustentável.





72 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page