top of page

Conheça e respeite os seus ritmos individuais: impactos na saúde mental, produtividade e desempenho e relacionamentos saudáveis


momento de foco: escrita acompanhada por um chá


Andamos tão ocupados que é  fácil esquecer que cada um de nós possui um ritmo único e intrínseco. Os ritmos individuais, tanto em termos de cronobiologia  quanto de preferências pessoais, desempenham um papel fundamental na nossa saúde, bem-estar e produtividade.


Neste artigo pretendemos explorar a importância de conhecer e respeitar os nossos ritmos pessoais, destacando como essa compreensão pode impactar positivamente diversos aspetos das nossas vidas, desde o sono até o desempenho no trabalho e relações interpessoais.




Não temos duvidas: sintonizarmo-nos com os nossos ritmos individuais pode ajudar-nos a viver de forma mais consciente e sustentável. 


O que são Ritmos Individuais?



Os ritmos individuais são padrões naturais de funcionamento que variam de pessoa para pessoa. Integram vários aspetos, desde os ciclos de sono/vigília até aos  horários programados e rotinas diárias.

Um elemento importante quando falamos de ritmos individuais é a cronobiologia, em específico conhecer o nosso cronotipo. Os cronotipos são categorias que classificam as pessoas com base nas suas preferências naturais de horários. Existem os "matutinos", com picos de energia nas primeiras horas da manhã, e os "vespertinos", mais ativos e alertas à noite, não esquecendo tosos aqueles que se situam entre estes extremos, conhecidas como “indiferentes”.

Mas afinal o que influencia uma pessoa ser matutina, indiferente ou vespertina? A responsável é a melatonina, a hormona responsável por induzir o sono, mas que determina de igual forma em que fase do dia estamos mais despertos, isto é, com mais energia. Assim, para pessoas do cronotipo matutino, o pico de produção de melatonina ocorre antes da meia-noite. São pessoas que precisam de se deitar cedo e estão ativas nas primeiras horas do dia. Por norma, dormem entre as 22h e as 6h. Já para quem encaixa no cronotipo vespertino, é pelas 6h que se dá o auge de produção de melatonina. Estas pessoas são mais produtivas à noite e  precisam de prolongar o descanso até ao final da manhã. Dormir, idealmente aconteceria entre as 3h e as 11h.

 

Contudo, estima-se que metade da população tenha um cronotipo “indiferente”. Nestes casos a melatonina está no pico de produção pelas 3h e o sono acontece entre a meia-noite as 8h

 

É fundamental compreender que não existe uma única abordagem que funcione para todos. Cada um de nós possui a sua própria variação de ritmo, influenciada por fatores genéticos, ambientais e até mesmo pelas estações do ano. Esta diversidade torna a compreensão dos ritmos individuais desafiadores, mas igualmente vital para melhorar nosso bem-estar e desempenho.


A Importância de Conhecer os Ritmos Individuais


Conhecer o nosso próprio ritmo tem um impacto significativo na nossa saúde, bem-estar, produtividade e nas nossas relações interpessoais. Propomo-nos, agora, a explorar como esse conhecimento pode melhorar a nossa qualidade de vida e desempenho.

 

Saúde e Bem-estar :

Pesquisas científicas, como as conduzidas por Roenneberg et al. (2012), concluíram que a sincronização das nossas atividades com os nossos ritmos naturais está diretamente relacionada com a nossa saúde e bem-estar. Uma das áreas mais estudadas é o sono. Quando ajustamos os nossos horários de sono aos nossos ritmos individuais, o sono torna-se mais restaurador, promovendo a saúde mental e física. O respeito pelos nossos ritmos tem igualmente impactos  na regulação do apetite, humor e na redução do stress.

 

Produtividade e Desempenho :

A pesquisa de Baumeister et al. (2007) sugere que a produtividade e o desempenho estão diretamente relacionados com a forma como planeamos as nossas tarefas tendo em conta os nossos ritmos individuais. Quando realizamos tarefas que necessitam de grande concentração e foco durante o nosso biological prime time, o período do dia em que nos sentimos mas focados e com níveis de energia maiores, somos mais eficazes e eficientes. Conseguimos realizamos um trabalho de maior qualidade com menos esforço. Conhecer os nossos ritmos permite-nos melhorar o planeamento do nosso tempo e alcançar um equilíbrio saudável entre esforços e resultados.

 

Relações Interpessoais :

Conhecer e respeitar os ritmos tem igualmente impactos significativos  na nossa vida social, contribuindo para relações mais harmoniosas e significativas. A investigação (Ciocca et al. (2021)) mostra que quando as pessoas se esforçam para compreender e respeitar os ritmos dos outros, as relações interpessoais são fortalecidas. Isso acontece porque as pessoas sentem-se valorizadas e respeitadas quando os outros levam em consideração os seus momentos de mais energia e, por outro lado, necessidade de descanso.




5 Estratégias práticas para conhecer e respeitar os seus ritmos individuais


Então, o que pode fazer? Deixo algumas sugestões de estratégias que poderá implementar:



1. Conheça o seu cronotipo:

Conheça-se melhor. Crie um diário. Esteja atento aos  seus próprios ritmos e como se sente em diferentes momentos do dia. Reflita sobre os momentos em que se sente com mais energia, focados e produtivos. Manter um diário pessoal pode ser uma ferramenta útil neste processo.

 

2. Comunique de forma transparente:

Promova a comunicação aberta e transparente no seu ambiente de trabalho e com as pessoas com quem se relaciona. Partilhe os seus ritmos e limites individuais com colegas e familiares para que os outros possam respeitá-los.



3. Faça um planeamento consciente e inteligente:

Agende tarefas e reuniões de acordo com os seus ritmos individuais. Evite agendar tarefas importantes para um período do dia no qual conhece que os seus níveis de foco e energia são mais reduzidos.  Reserve as atividades mais desafiadoras para o seu «biological prime time».

 

4. Faça pausas regulares:

Faça pausas regulares durante o dia para recarregar a sua energia. Caminhadas curtas, meditação ou simplesmente um momento de relaxamento breve são alguns exemplos.

 

5. Alimente uma cultura de respeito:

Crie uma cultura que valorize o respeito pelos ritmos individuais. Isso envolve começar por si, no seu exemplo, e estender às pessoas com quem se relaciona, apoiando e compreendendo as necessidades individuais de cada um.



Desafio final:


Conhecer e respeitar os ritmos individuais é fundamental para promover a saúde, o bem-estar, a produtividade e relacionamentos saudáveis. A investigação  demonstra consistentemente que a adaptação das atividades e a criação de um ambiente que honra os ritmos naturais das pessoas podem resultar em melhorias significativas em todas estas áreas. Ao adotarmos estratégias práticas, estamos a construir um caminho para uma vida mais equilibrada e satisfatória, tanto no trabalho quanto nas relações pessoais.


Deixo-vos um desafio: permita-se explorar e implementar estas abordagens, pois conhecer e respeitar os ritmos individuais é um dos pontos de partida para uma vida mais consciente e sustentável.

Artigos citados:

Roenneberg, T., et al. (2012). Jetlag social e obesidade. Biologia Atual, 22(10), 939-943.

Baumeister, RF, et al. (2007). Como a emoção molda o comportamento: Feedback, antecipação e reflexão, em vez de causalidade direta. Revisão de Personalidade e Psicologia Social, 11(2), 167-203.

Ciocca, FM, et al. (2021). Compreender o ritmo dos seus amigos: A ligação entre a complementaridade interpessoal e a satisfação da amizade. Personalidade e diferenças individuais, 168, 110396.




Sofia Pereira, fundadora e CEO da Sowise time lab





Fundadora e CEO Sowise time lab.




Descubra como respeitar os ritmos individuais pode revolucionar a sua produtividade e bem-estar! Transforme a sua abordagem em relação ao tempo e ao trabalho.


Aprenda a adaptar as suas rotinas, horários e práticas de trabalho para maximizar seu potencial e alcançar o equilíbrio desejado na vida pessoal e profissional.

Seja o arquiteto do seu próprio sucesso e bem-estar. Junte-se a nós nesta viagem rumo a uma vida mais satisfatória e realizada.




Комментарии


bottom of page